Louco por ti
Zé gosta e procura compreender o que se vai passando consigo. Foi isso que o levou, a partir de certa altura, a escrever o que sentia por ela, como via a relação que mantinham e o que desejava dela.
25
Fev 06

Terralva, 25 de Fevereiro

Olá Querida
Acabei agora de falar, ao telefone, contigo. Foi bom saber que ficaste contente por te ter telefonado, por ouvir os teus sorrisos, por encontrarmos tantos pontos de vista comuns, por convergirmos cada vez mais um com o outro.
Ontem, apesar de não podermos ter passado a noite como gostaríamos, foi bom. É gratificante percebermos que nos estamos a envolver cada vez mais, que cada vez sentes menos vontade de resistir a isso, que vais admitindo que vale a pena aceitar o desafio de enfrentarmos a vida juntos, partilharmos o que desejamos, o que queremos, o que nos preocupa, enfim tudo aquilo que não seja estritamente de cada um e que não se partilha com ninguém.
Começamos a sintonizar. Vais-te abrindo, vais confiando mais em mim, vais, enfim, percebendo que a nossa relação não é um simples “flirt”, não é uma conquista para consumir e deitar fora. É algo de mais importante, é uma atracção irresistível, é uma vontade enorme de partilhar afectos, sentimentos, desejos, é um desafio para trilhar um caminho comum.
Como te disse, não é fácil para mim passar os serões e, principalmente, os fins-de-semana, só, a desejar estar contigo, a pensar em ti, a imaginar onde andas, que fazes. Como seria bom que estivesses comigo.
Mas saber que as coisas entre nós se estão a desenvolver no sentido da aproximação, do envolvimento, da partilha, do enamoramento, torna a situação menos penosa. Reforça-se a esperança, cresce a confiança na concretização da paixão que sinto por ti.
Cada vez te admiro mais, a tua boa formação, a tua integridade, a tua personalidade, a tua beleza, a tua inteligência. Cada vez te acho mais interessante.
O interesse da nossa relação não é só físico, sensual, sexual, mas também intelectual, porque somos ambos curiosos, com vontade de aprender e compreender a vida e tudo o que ela envolve, com espírito de aventura, preocupados com a vida e com as pessoas, interessados e empenhados em contribuir, na medida das nossas capacidades, para uma sociedade e um mundo melhores. Contigo sinto-me disponível e disposto a tudo: à aventura, à descoberta, à construção.
Estou loucamente apaixonado por ti. Quero amar-te tanto quanto for capaz. Quero namorar contigo. Quero viver contigo as coisas mais importantes que a vida nos reserva mas também as pequenas coisas, as belezas que a natureza nos oferece. Quero fruir contigo as energias que a lua e o sol nos transmitem.
Vamos ultrapassar preconceitos, vamos vencer pressões, vamos viver o nosso lindo amor.
publicado por jmartinsdocabo às 15:41
20
Fev 06

Terralva, 20 de Fevereiro

Como me senti feliz ontem, naquele bocado que passámos juntos.
Sinto-me tão feliz por ires abrindo umas brechas na tua couraça, falando de ti, expondo-te, admitindo que cada vez gostas mais de mim, que me amas (embora a palavra seja difícil de pronunciar), que estás a ficar apaixonada por mim.
Sinto-me tão bem por ires confiando em mim, à medida que me vais conhecendo melhor.
Precisamos de mais tempo para nós, para nos podermos conhecer melhor e partilharmos mais vivências, ideias, objectivos, sonhos,...
É interessante como vamos evoluindo, mudando o que pensamos, adaptando e ajustando um ao outro o que desejamos e queremos da nossa relação e do futuro.
Acho que estamos no bom caminho, da descoberta, da experiência, do conhecimento recíproco, do adquirir confiança um no outro, do querermos mais...
É bom que vá sendo assim, que gostemos e queiramos, cada vez mais, estar juntos, sentindo-nos mais próximos, unidos, “amarrados”.
És uma mulher muito bonita, de aspecto exterior mas também, e principalmente, interiormente. És bem formada, és meiga, amiga do teu amigo, solidária.
És um encanto. Por isso não é de admirar que esteja encantado em ti...
Quando te soltas mais, te abres, quando esqueces as reservas e ages naturalmente és/mostras-te ainda mais bonita, mais atraente, meiga, fogosa, terna, apaixonada,...
Quero, preciso de estar mais contigo. Acho que tu também vais achando isso...
Temos que ser imaginativos, criativos, inventivos, para criarmos oportunidades e dispormos do tempo que precisamos para estarmos juntos, para vivermos o nosso amor, gozarmos a nossa paixão, e namorarmos muito.
Estou nessa. E tu? – Acho que vais estando.
O tempo não estica. A única forma de o aproveitar melhor é geri-lo bem, definindo prioridades e ocupando-o em função delas.
A minha prioridade, porque é ela que me fará feliz, é estar contigo, é dar largas ao que sinto por ti e esperar que faças o mesmo. É claro que a vida não é só isso, não se pode, por mais que isso nos apeteça, resumir-se a isso. Temos responsabilidades, que devemos cumprir, temos família e amigos, com quem nos devemos relacionar. Tudo isso existe. Por isso é que digo que temos de gerir bem o nosso tempo de forma a deixarmos o máximo possível para nós. Precisamos disso.
O nosso encontro de ontem contribuiu para confiar mais no futuro da nossa relação.
Estou loucamente apaixonado por ti.
publicado por jmartinsdocabo às 23:45
17
Fev 06

Terralva, 17 de Fevereiro

Quero, preciso tanto de namorar contigo!
Namorar porque gosto de namorar, porque é lindo, porque é um processo de descoberta do outro e de nós através do outro, de partilha de ideias, ideais e objectivos.
Namorar contigo porque gosto muito de ti, gosto de gostar de ti porque te acho uma mulher muito interessante, interessada na vida, empenhada profissionalmente, inteligente, bonita, sensual, capaz de provocar sentimentos mais nobres e desejos e apetites mais animais.
Apetece-me estar contigo, cada vez mais. Quero fazer tanta coisa contigo, experimentar tanta coisa.
Sinto que o futuro nos desafia. Por mais tortuoso que seja o caminho havemos de o trilhar. Estou convicto disso. Farei tudo por isso.
Cada vez sinto mais necessidade de trocar impressões contigo sobre os mais diversos assuntos. Acho que me completas, que me alargas o ângulo de observação, contigo sinto-me mais seguro, mais capaz, mais completo. És, como se costuma dizer, a minha cara-metade. Será que também sentes isso? – parece-me que sim.
Sentes-te com dúvidas, alguma intranquilidade e insegurança, porque talvez não saibas bem o que queres, o que será melhor para ti, a importância relativa das coisas, nem como (des)equilibrar a relação coração - razão.
Quem não passa por isso? O tempo, nós e tu, em particular, ajudarão a esclarecer essas dúvidas.
Quer-me parecer, quero acreditar que me amas, que precisas de mim, que estás enamorada de mim, mais do que queres admitir.
Se assim for, como desejo, espero que as coisas evoluam depressa e que demos largas aos nossos sentimentos e desejos mais profundos, de forma a experimentarmos a felicidade, a fruirmos períodos muito felizes e gratificantes.
A complexidade da situação aconselha alguma ponderação na escolha dos melhores caminhos.
Se assumirmos que queremos partilhar esses caminhos teremos mais capacidade para, juntos, escolhermos os melhores.
Há vários interesses em presença e nem sempre sabemos usar da melhor maneira toda a nossa capacidade de análise. Juntos, completamo-nos, e aumentamos substancialmente essa capacidade. Há opções a fazer. Ou as fazemos isoladamente ou em conjunto. Convido-te a fazê-las desta última forma.
Quero, preciso de contar contigo. Dispõe de mim sempre, e para o que entenderes. Espero que não demores a compreender e a aceitar que estás apaixonada por mim. Gozemos, tanto quanto formos capazes, essa paixão!
Adoro-te!

publicado por jmartinsdocabo às 22:10
16
Fev 06

Cam000742.jpg
Terralva, 15 de Fevereiro

Sei que não gostas que eu o faça mas deixa-me que te agradeça, do fundo do coração, o óptimo dia que ontem me (nos) proporcionaste.
Foi uma maravilha ter estado contigo à luz do dia, ainda por cima num dia tão bonito com sol tão radioso, e ter podido apreciar-te melhor, quer em termos físicos, quer, e principalmente, interiormente. És de facto, e como te disse, uma mulher muito bonita, muito interessante e muito interessada.
Cada vez gosto mais de ti. À medida que te vou descobrindo, conhecendo melhor, mais características interessantes reconheço em ti.
Foi muito bom que te tenhas aberto um pouco mais, tal como é muito bom que mostres que confias um pouco mais, que aches que vale a pena partilhares comigo o que te vai na alma, os teus desejos, as tuas aspirações, as tuas dúvidas, as tuas preocupações.
Fico muito satisfeito por admitires que talvez gostes mais de mim, do que dizes, do que reconheces. Enche-me de esperança, dá-me mais confiança.
Como é bom percebermos como nos vamos conhecendo bem, ao ponto de percebermos o que o outro pensa, de reflectirmos em simultâneo sobre questões diversas, de lermos nos olhares e nas expressões o que nos vai na alma, no pensamento.
Como é bonito pensarmos o futuro em conjunto, adaptarmos as nossas aspirações e desejos de forma a partilhá-los com o outro, naturalmente sem nada fazermos nesse sentido.
Acho que me vais compreendendo melhor e aceitando a minha sinceridade, a minha autenticidade, a minha total disponibilidade para ti. Acho que já compreendeste que podes contar comigo, dispor de mim sempre que entenderes, que te aceito e respeito tal como és, e que, apesar de te querer muito, de te amar muito, de estar apaixonado loucamente por ti, podes contar comigo de forma desinteresseira.
Espero que vás compreendendo e que assumas rapidamente que me amas, que estás apaixonada, também, por mim, que vale a pena aceitar o desafio de tentarmos ser felizes um com o outro. Espero ser capaz de estar à altura de satisfazer as tuas necessidades, os teus interesses mais íntimos e profundos.
Espero que sejas capaz de confiar cada vez mais em mim, que te disponhas a expor mais, a vencer preconceitos, dúvidas e receios que te assaltam e que não nos têm permitido aproximar e partilhar tanto quanto necessitamos.
Foi um belo dia como há muito não passava e com que não estava à espera. Obrigado, minha Gatinha.
Amo-te muito! Não me canso de repetir. Sinto tanto isso e tanta vontade de o dizer!
Adoro-te!
publicado por jmartinsdocabo às 15:09
13
Fev 06

Terralva, 13 de Fevereiro

Depois de termos uma conversa interessante e de nos separarmos, receber uma mensagem “gosto de ti muito” foi muito bonito. Obrigado por isso.
Agradeço-te igualmente as tuas chamadas de atenção para atitudes minhas menos adequadas. É de amiga.
Fico muito contente por se irem gerando entre nós maiores compreensão, colaboração, cumplicidade, amizade.
Acho que, à medida que nos vamos conhecendo melhor, nos vamos aceitando mais tal como somos, gostando mais um do outro, e precisando mais um do outro.
Tal, como já te tenho dito algumas vezes, podes contar comigo, estou à tua disposição. Só não te ajudarei no que não conseguir.
Fico contente por saber que posso contar contigo. Acho que faremos uma dupla, um par, um casal cada vez mais cúmplice, eficaz e feliz.
Deixa-me sonhar...
Ficámos cinco horas a trabalhar, a falar, a descobrir-nos, a tentar compreender-nos melhor, a partilhar preocupações, ideias, objectivos.
Sinto cada vez mais amizade por ti. Sinto muita ternura, muito carinho. Gostava de poder transmitir-te tudo o que sinto por ti.
Espero, desejo muito partilhar contigo tudo o que nos apeteça, sem constrangimentos, sem restrições, sem medos, sem inibições, dando largas ao que sentimos, ao que desejamos, ao que queremos um do outro e dos dois.
Acredito em ti, confio nas tuas capacidades e qualidades de mulher e profissionais. Tens muito para dar. Desenvolve as tuas capacidades mais positivas, com o bom senso que te caracteriza doseado de uma certa loucura e muita alegria de viver. Sentir-te-ás progressivamente realizada e experimentarás momentos e períodos de felicidade, como mereces.
Espero poder partilhar alguns desses períodos contigo.
Quanto mais te descubro, quanto melhor te conheço mais gosto de ti, mais te amo, mais apaixonado me sinto por ti, mais te quero e desejo, mais quero namorar-te.
Desculpa o meu mau humor e, principalmente, as repercussões no meu comportamento, mas é complicado para mim amar-te tanto, precisar de ti, desejar-te, ter-te perto, saber que não te sou indiferente e que também gostas de mim, sentir tanta vontade de namorar contigo, e ter de assobiar para o ar...
Espero que o que sentimos um pelo outro continue a desenvolver-se e que saibamos fruir esses sentimentos tão bonitos.
Adoro-te!
publicado por jmartinsdocabo às 19:46
09
Fev 06

Terralva, 9 de Fevereiro

Obrigado por teres aceite o meu convite e tenhas jantado ontem comigo. Foi a melhor forma de terminar o dia do meu aniversário.
Foi muito bom termos voltado a encontrar-nos. Foi muito bom termos falado, permitiu-me compreender o que se está a passar, o que pensas, o que sentes, a tua postura honesta, a recusa de situações que consideras menos íntegras, a procura do teu caminho, de que te orgulhes, de que não sintas vergonha. A tua verticalidade toca-me fundo, é enternecedora, faz-me gostar ainda mais de ti, se isso é possível.
Sê sempre assim. Por mais difícil que seja, mesmo complicando a nossa relação, estás no caminho certo. É muito bom olharmo-nos ao espelho e não nos envergonharmos da imagem que ele reflecte, deitar-mo-nos e não sentirmos problemas de consciência.
Sinto orgulho de ti. Fiquei a admirar-te mais. Sei que as coisas não são simples para ti, advinho a complexidade de sentimentos, o querer e não querer, o apetecer e recusar, o desejares e fugires, o apetecer gritar e calares, “Ser e não ser / Negar querer / Fugir ficar”.
Ainda bem que não me resignei, que não desisti, que sou “um guerreiro, que tomo tudo como um desafio”,.
Isso permitiu-me reencontrar-te, rever-te, conhecer-te e compreender-te melhor, respeitar-te mais.
Voltar a olhar-te no fundo dos teus bonitos olhos, tocar-te, conversar contigo, sentir que há química na atmosfera que respiramos, que sentimos prazer em partilhar vivências, que contamos um com o outro, que pensamos um no outro, que queremos apoiar-nos. Sentimo-nos bem um com o outro.
Posso estar a exagerar, mas acho que sentes por mim algo de mais profundo do que o que me transmites por palavras e queres admitir. Ontem, por várias vezes, vi isso nos teus olhos. Foi uma maravilha. O que me disseste e, principalmente, o que não disseste mas me mostraste, ou que eu julgo ter visto (estou certo que vi), fez-me sentir feliz, tranquilizou-me, transformou as minhas esperanças em confiança. Confiança em mim, confiança em ti, confiança no futuro.
Foram uns momentos bonitos, de grande ternura, de compreensão recíproca.
Custa, custa sempre, ter de me (nos?) conter, não dar largas aos meus sentimentos, aos meus desejos. Mas os poucos momentos que posso partilhar contigo, a troca de ideias, os olhares, os toques, a ternura, a ambiência que se cria, é muito gratificante, vivificadora, tonificadora.
A lua cheia ali fora não me deixa sossegar. A energia que me transmite perturba-me, enche-me de desejo. Quero tanto passar uma fase destas contigo sem restrições!...
Amo-te tanto! Estou completamente louco, louco por ti.
publicado por jmartinsdocabo às 21:56
08
Fev 06

Terralva, 8 de Fevereiro

Iniciou-se agora mesmo mais um ano da minha vida. Os que já vivi ninguém me tira. É uma vida recheada de coisas boas e de coisas menos boas, e até de algumas más. Só tenho pena de não ter vivido mais intensamente a minha juventude. Mas, nessa altura, era puritano. Não me orgulho dessa fase, mas também serviu para ter uma vivência que sem ela talvez não compreendesse ou não soubesse avaliar bem a importância de algumas coisas.
Cá estou esperançado em ultrapassar os cento e cinquenta anos, em viver em três séculos, em mais ou menos bom estado, com uma vida cheia de paixões, intensamente vividas, sempre achando que uns momentos de paixão partilhada valem mais do que muitos anos de vida sem sal.
Há fases muito críticas, dolorosas, de grande inquietação, em que temos de conter ou calcar os nossos sentimentos, mas um sorriso, um olhar, uma palavra correspondidos apagam todo esse sofrimento, e dão-nos energia para continuarmos a procurar a paixão que nos traga a necessária intensidade, que dê sentido à nossa vida.
Há sorrisos, olhares, expressões, palavras, gestos teus que, por mais instantâneos e breves, me fizeram sentir feliz. Obrigado por isso.
Espero que aceites o meu convite para jantares comigo. És a mulher mais importante para mim, pelo que é natural que queira estar uns momentos contigo, principalmente neste dia. Tentei contactar-te mas tinhas o telemóvel desligado. Esperei que me ligasses a confirmar a aceitação do meu convite. Não o fizeste. Será que não vais aceitar? – Ficarei muito triste se isso acontecer, mas terei de respeitar a tua decisão.
Deixa-me que te transmita, mais uma vez, o que sinto por ti: amo-te perdidamente, estou profundamente apaixonado por ti, loucamente enamorado de ti. Adoro-te. Preciso de ti. Sei que sem ti os próximos tempos serão muito difíceis para mim, sinto-me perdido, sem interesse, ou com pouco interesse relativo por aquilo que me envolve, porque és tu o principal centro dos meus interesses.
Naturalmente que sei que sem ti a vida não vai parar, por mais que eu sinta isso, que a vida vai continuar, por mais que me custe encarar isso, não estou a dramatizar as coisas, por mais que as sinta dessa forma, e muito menos me estou a armar em vítima, que sei não ser nem quero ser.
Todo o sofrimento que possa sentir, e estou a sentir, é problema meu e cabe-me a mim resolvê-lo.
Quero acreditar, como já tenho dito de outras vezes, que a situação possa evoluir favoravelmente, que reconsideres a tua posição, e aceites o meu desafio de namorares comigo, de te soltares e te disponibilizares para experimentar uma relação criativa, estimulante, gratificante e que nos ajude a crescer e a desenvolver.
Aguardo-te de braços abertos. Acredito que te posso fazer feliz.
Adoro-te!
publicado por jmartinsdocabo às 08:40
05
Fev 06

Terralva, 5 de Fevereiro

Tenho tantas saudades tuas! Gosto muito de ti, amo-te muito, preciso de ti. Acho que posso ajudar a sentires a felicidade. Estou loucamente, perdidamente apaixonado por ti.
Estou completamente apanhado. Provavelmente, a ter em conta a tua posição/decisão, tudo isto te passa ao lado, não te interessa, estás noutra. Se for assim, das duas uma: ou ainda bem para ti, se não gostas de mim, se não gostas de ninguém, ou se gostas de outra pessoa, ou ainda mal para ambos, se, porventura, gostas de mim e tentas afastares-te, porque, neste caso, sofremos ambos.
Sinto-me baralhado, feliz por me ter cruzado contigo, que preenches os meus interesses e necessidades, mas intranquilo e receoso por admitir que a tua decisão seja definitiva.
Como é possível ter-me apaixonado tão depressa e tão loucamente por ti?! – Só há uma explicação – tu, justificas isso! É isso que eu acho. Tu és maravilhosa – és linda, sensual, atrais-me completamente, és inteligente, dá prazer conviver contigo, descobrir novos pontos de interesse, crescer contigo, descobrir tanta e tanta coisa nova, ou encarar de forma nova tanta e tanta coisa velha.
Estou louco, louco por ti.
Quer tu insistas em manter a tua posição de ruptura comigo, quer revejas a tua posição e te disponhas a recomeçar o namoro comigo, vou ter de reaprender a viver.
Já não sei viver sem ti. Contigo vou ter de aprender a viver, a partilhar a vida, os interesses, a encontrar espaços e delimitação de espaços. Sem ti, vou ter de reaprender a viver sozinho, a curtir a solidão, a procurar companhias momentâneas, sem sequência.
Entretanto, vivo na expectativa, na esperança, na ilusão de poder contar contigo, com a tua companhia, com a partilha de interesses comuns.
Não és assim tão miúda como, por vezes, dizes. Não é assim tão complicada a nossa relação, assim isso te interesse, te motive, te galvanize, te satisfaça. Se é assim que se passa, não deixes perder esta oportunidade. As oportunidades, porque tão raras, devem ser aproveitadas.
Amo-te tanto, quero-te tanto, quero tanto namorar contigo, fazer-te feliz e sentir-me feliz, ajudar-te a crescer e a aprender a crescer contigo.
Diz-me claramente que não me amas, que não tens qualquer interesse por mim, ou que gostas ou estás apaixonada por outro, e, nesse caso, terei que me resignar.
Caso contrário, não desistirei de ti, e insistirei em conquistar-te, porque te amo e julgo que te posso fazer feliz.
Amo-te!
publicado por jmartinsdocabo às 16:32
03
Fev 06

Terralva, 3 de Fevereiro

Escrever a pensar em ti tornou-se para mim uma necessidade irresistível. É uma forma de falar contigo, na impossibilidade efectiva de o fazer.
Regressei agora a casa, depois de ter andado por aí a divagar sozinho. Estou só, não sinto vontade de estar seja com quem quer que seja a não ser contigo.
Fui esta tarde, como te falei, à visita guiada à exposição a Évora. É interessante. Se puderes, deves ir vê-la. Vais gostar e interessa-te profissionalmente.
Estou na fossa, como há muito não me sentia.
Deixar fluir e desenvolver-se livremente uma paixão, começar a partilhá-la e, de repente, travá-la é violento demais, dói, confunde, baralha, desestabiliza. Sinto-me perfeitamente perdido.
Preciso urgentemente de perceber o que se passou para que as coisas desembocassem nesta situação, e se a tua posição é definitiva.
Como não a entendo, recuso-me a aceitar a tua posição.
Se me explicares, e se eu compreender e achar que faz sentido, terei de me virar e de aprender a calar fundo esta dor que me atormenta, e a viver sem ti.
Até lá vou viver na esperança, ou iludido, de que a situação actual é passageira e voltaremos a namorar, que é o que eu mais quero e desejo. Voltar aos nossos encontros, às nossas conversas, à descoberta um do outro, ao crescimento juntos.
“Dói,
Me dói aqui por dentro,
Sonhando tantas coisas
Que deixamos de viver,
ói, você me esquecendo
E eu aqui sofrendo
Com saudades de você,
ói, saber que ainda te amo,
Saber que ainda te chamo
E que você não está aqui”,
Canta a Fafá, interpretando aquilo que eu sinto, acrescentando
“Amor da minha vida
Eu tenho que te ver”.
É isso mesmo. Tenho que te ver, tenho que estar contigo, tenho que falar contigo, tenho tantas coisas para te dizer, para viver contigo.
Hoje, li uma entrevista com Emili Brown, uma especialista em terapia de casal, que afirma que a infidelidade é um fenómeno cada vez mais frequente, que o local de trabalho é uma potencial fonte de affairs porque é o sítio onde os adultos têm mais possibilidades de conhecer novas pessoas.
Afirma ainda que um “Eu dividido”, que tem um forte sentido de responsabilidade, sempre foi filho exemplar e geriu as crises de família e quando forma família “a sério”, descobre que lhe falta a paixão e procura alguém para compensar essa carência essencial. Revejo-me nesta afirmação.
São divagações, reflexões de quem se sente perdido. Ajuda-me a encontrar-me. Preciso de ti.
Amo-te!
publicado por jmartinsdocabo às 23:45
03
Fev 06

Terralva, 2 de Fevereiro

Há bocado, quando me ligaste, estava a jantar com um casal amigo e o filho. Quando acabámos de falar, e depois de brincarem um pouco comigo, comentaram que estou apaixonado. Pelos vistos nota-se o estado em que me encontro...
Foi bom, é sempre bom, falar contigo, ouvir-te, saber de ti. Fico inquieto, mas é bom. Fiquei inquieto com a tua hesitação em aceitar o meu convite para jantar comigo na noite do dia do meu aniversário. Não sei se vais aceitar. Fico à espera. Gostava de saber porque hesitas. Porque não queres estar comigo, se é que não queres. Não percebo porque é que dizes que é uma grande responsabilidade aceitares o meu convite. Porquê? – Não entendo.
Quem me dera perceber o que se passa. Gostava que me esclarecesses e me ajudasses a compreender a situação. Espero que aceites o meu convite, jantes comigo e te disponhas a esclarecer-me melhor.
Há pouco, ao regressar a casa olhei para o céu e vi a lua. É quarto crescente. Já está a mexer comigo. Esta semana vai ser complicada. Vou andar inquieto, ansioso, desejoso. Tremo só de pensar que vou passar mais uma lua cheia sozinho...
Gosto muito, muito de ti. Parece que estou enfeitiçado. Só penso em ti. A todo o momento surges-me no pensamento. A dúvida, o receio de não voltar a poder contar contigo, de não voltarmos a namorar, deixa-me doido.
Preciso de ti porque te amo, porque satisfazes os meus interesses, as minhas necessidades, porque sinto vontade de partilhar contigo tanta e tanta coisa...
Sempre que penso fazer alguma coisa de mais interessante lembro-me de ti, como seria bom fazer isso contigo.
Não poder namorar contigo, não poder viver a paixão que tenho por ti, ter de travar o amor que sinto por ti, será uma grande violência para mim. Não sei como vou conseguir viver sem ti, sem a tua presença, sem a tua inteligência, sem a tua alegria, sem a tua beleza, sem a tua sensualidade...
Quero-te tanto, meu amor! Que posso eu fazer para que aceites ser minha namorada? Há muito que não me sentia tão perdido. Estou louco por ti.
Não desisto de ter esperanças de que esta situação tem de evoluir. Estou disposto a fazer tanta coisa para que te sintas bem comigo, a namorar comigo.
Acho que me estou, que me ando a repetir, mas enquanto as coisas se mantiverem na mesma terei dificuldade em não repetir os meus pensamentos, a expressão dos meus sentimentos, as minhas dúvidas, os meus receios, as minhas inquietações.
Apetece-me contactar-te a todo o momento, correr à tua procura e ao teu encontro, abraçar-te, apertar-te contra mim, afagar-te, beijar-te...
Adoro-te!
publicado por jmartinsdocabo às 00:04
Fevereiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
18
19
21
22
23
24
26
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Eu te louvarei, de todo o meu coraçã...
Minha familia. javito, Duvanito, Jõao, Luis...
Mãe eu te amo muito eu nunca disinsto na tu...
O que qui você esperar. você é ...
Eu quero namorar com tigo. é porque tua bel...
gostei bue, muito original
gostei bue, muito original
ha se tas assim tao apaixonado pede-lhe em namoro ...
Essa vida é realmente muito difícil... e parecer e...
Desencana, Véio. desencana. Bom é sexo. Porra de s...
blogs SAPO